Aplicação do Fator “r” no Planejamento Tributário do Simples Nacional


De acordo com o art. 26 da Resolução CGSN n. 94/2011, na hipótese de a ME ou a EPP optante do Simples Nacional obter receitas previstas para o Anexo V, deverá apurar o Fator “r”, que deve ser encontrado para que seja apurada a contribuição previdenciária patronal unificada juntamente com os outros tributos abrangidos no Simples Nacional.

O Fator “r” deve ser encontrado mediante a relação entre a:

I – Folha de salários, incluídos os encargos, nos 12 (doze) meses anteriores ao período de apuração; e a
II – Receita bruta total acumulada auferida nos mercados interno e externo nos 12 (doze) meses anteriores ao período de apuração.

(r) = Folha de salários incluídos encargos (em 12 meses) : Receita Bruta (em 12 meses)

Considera-se folha de salários, incluídos os encargos, o montante pago nos últimos 12 (doze) meses anteriores ao do período de apuração, a título de salários, retiradas de pró- labore, acrescidos do montante efetivamente recolhido a título de contribuição para a Seguridade Social destinada à Previdência Social e para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.

• Deverão ser considerados os salários dados relacionados a fatos geradores, base de cálculo e valores devidos da contribuição previdenciária e outras informações de interesse do INSS ou do Conselho Curador do FGTS.

• Consideram-se salários o valor da base de cálculo da contribuição prevista nos incisos I e III do art. 22 da Lei n. 8.212/1991, agregando-se o valor do 13o salário na competência da incidência da referida contribuição. Nota-se que não são considerados valores pagos a título de aluguéis e de distribuição de lucros.

Exemplo

1. A Empresa Campestre, que presta serviços de assessoria e consultoria empresarial e tributária, obteve uma receita bruta em janeiro no valor de R$ 200.000,00. A receita bruta, acumulada nos 12 meses anteriores ao período de apuração, foi de R$ 3.000.000,00.

A folha de pagamento acumulada nos últimos 12 meses totalizou a importância de R$ 144.000,00.

Determine o DAS do Simples Nacional a recolher em fevereiro. Enquadramento:
Do Anexo III vai para o Anexo V.

A partir das informações e aplicando as normas do Simples Nacional, verifica-se que a relação no mês, entre a folha de pagamento de salários paga e a receita bruta obtida nos últimos 12 meses, é inferior a 28%. Dessa forma, a tributação passará do Anexo III para o Anexo V.

Percentual da folha de pagamento bruta total 12 × RBT 12

R$ 144.000,00 : R$ 3.000.000,00 = 4,8%

Alíquota = 23,00%
Parcela a deduzir = R$ 62.100,00

Solução:

Alíquota efetiva = (R$ 3.000.000,00 × 23,00%) – R$ 62.100,00 : R$ 3.000.000,00

Alíquota efetiva = 0,2093 × 100% = 20,93%
Cálculo do Simples Nacional = R$ 200.000,00 × 20,93%

Valor do DAS do Simples Nacional a recolher = R$ 41.860,00

Veja mais no curso Planejamento Tributário, veja mais cursos do Prof. Silvio Crepaldi, clique aqui.


There is no ads to display, Please add some
Previous Planejamento Tributário no Lucro Presumido
Next Conceito de administração moderna na agropecuária

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.