O objetivo geral da auditoria operacional com o staff da administração é assessorar no desempenho de suas funções e responsabilidades, de acordo com o planejamento e com o programa de trabalho, avaliando se a organização, o departamento, as atividades, os sistemas, os controles, as funções ou as operações estão atingindo os objetivos da empresa ou da organização.Também é preciso considerar como premissa a busca dos três “Es”, sendo eles:.

 

1 Eficiência: é a relação entre a obtenção de níveis máximos de produção com o mínimo de recursos possíveis, tendo em conta a quantidade e qualidade apropriada e os recursos utilizados para produzi-los ou atingi-los; menor custo, maior velocidade, melhor qualidade.

 

2 Economicidade: é a utilização ótima dos recursos humanos, materiais e financeiros, considerando a relação custo/benefício. É a parte da gerência das virtudes de poupança e da boa economia doméstica.

 

3 Eficácia: são os resultados obtidos que estão de acordo com os objetivos propostos pela empresa ou organização, conforme as políticas estabelecidas, as metas operativas e outros resultados e efeitos previstos.

Jung Jung (2006, p. 114) escreve que esse objetivo geral pode ser desdobrado em diversos outros objetivos específicos, dentro do mesmo escopo, como, por exemplo:.

  • Avaliação dos controles gerenciais internos quanto à sua adequação e eficácia;
  • Identificação de falhas e irregularidades no ciclo operacional;
  • Validação do desempenho do setor auditado e do seu ciclo operacional;
  • Aderência das ações operacionais administrativas às políticas, aos planos e às diretrizes;
  • Verificação das causas de ineficiência ou desperdícios.

Desta forma, podemos observar que o objetivo da auditoria operacional é dar subsídios para todos os membros da administração, com o intuito de fazer melhorar a gestão na busca da eficiência por meio da economicidade para atingir a eficácia.

A auditoria operacional caracteriza-se pela aplicação da avaliação operacional na empresa ou na organização em que é implantada. Cada empresa ou organização possui necessidades próprias e, sendo assim, é aplicado e desenvolvido um programa para a avaliação dos controles internos de acordo com os processos, a carteira de clientes e fornecedores, os projetos, as atividades segmentadas ou não, o sistema, os departamentos e as operações. A auditoria operacional tem como característica utilizar a avaliação da gestão nos diversos níveis hierárquicos de cada área, de acordo com o programa e também de acordo com a extensão de exames tais como:

  • Planejamento estratégico, políticas, planos e metas;
  • Estrutura funcional, instalações, produção, processos etc.;
  • Métodos e rotinas das atividades desenvolvidas de acordo com o planejamento;
  • Controles internos e controles administrativos e gerenciais;
  • Aproveitamento dos recursos, perdas prováveis e improváveis;
  • Resultados alcançados;
  • Verificação quanto à utilização e aplicação de normas, leis, regulamentação e normatização aplicadas à atividade.

Para tanto, todas estas etapas que caracterizam a Auditoria Operacional (realizada de acordo com o programa adequado às atividades da empresa/organização) visam à verificação das atividades e processos na busca constante do aperfeiçoamento dos controles, da racionalização dos processos e do aprimoramento da gestão administrativa e gerencial, de forma a influenciar na tomada de decisões.

Para tanto, todas estas etapas que caracterizam a Auditoria Operacional (realizada de acordo com o programa adequado às atividades da empresa/organização) visam à verificação das atividades e processos na busca constante do aperfeiçoamento dos controles, da racionalização dos processos e do aprimoramento da gestão administrativa e gerencial, de forma a influenciar na tomada de decisões.

Fonte: Auditoria Interna Operacional – Teoria e Prática para Execução – Conceitos e Práticas


There is no ads to display, Please add some