Boas Práticas para Implantar a atividade de auditoria interna em uma organização.


Group of business people pointing at business document during meeting

A implantação da atividade de auditoria em uma organização não é um processo simples, pois, impacta diretamente na cultura da empresa. É muito importante entender quais os motivos que levaram a alta organização a incluir esta auditoria interna na dinâmica de seu negócio, e até onde eles conhecem, ou estão conscientes da importância desta atividade.

Se houver o apoio efetivo da alta Administração, já temos meio caminho andado. Depois é necessário um trabalho de conscientização da importância da atividade para a estratégia da empresa junto aos gestores médios, aqueles que irão se relacionar com a auditoria de maneira mais frequente.

O amadurecimento e a aceitação da atividade virá com o tempo, por isso é de extrema importância o adequado posicionamento dos auditores, principalmente em suas atitudes éticas, pois é necessário o estabelecimento de um elo de confiança entre auditado e auditor.

Também é importante ter uma equipe com habilidades e competências adequadas, de forma a desempenhar seu papel da maneira mais profissional possível, com grau elevado de zelo profissional.

Destacamos abaixo, Habilidades e Competências importantes requeridas dos profissionais  que farão parte da equipe de profissionais da auditoria interna.

  • Conhecer a fundo suas atividades, da equipe e da empresa;
  • Humildade (Aprender a ouvir os outros e procurar aprender sempre);
  • Controle do Ego/Vaidade (Cuidar para não deixar a impressão de que somos os melhores, sabemos de tudo e não precisamos de ajuda das pessoas);
  • Firmeza de postura e posicionamento (Sem arrogância ou agressividade)
  • Iniciativa (Saber atuar e agir com prudência e responsabilidade);
  • Paciência para ouvir o auditado. (Saber ouvir o auditado, se colocando no lugar dele. Tomar cuidado também para não tomar partido ou as dores do auditado procurando se colocar de forma profissional)
  • Paciência para receber as informações. (Nem sempre o que queremos vem na hora e momento certo);
  • Persistência (Não desistir frente aos obstáculos e situações adversas)
  • Controle emocional (Focar sempre o aspecto profissional / Pensar 10 vezes antes de responder. Não insultar, ofender, gritar ou usar violência);
  • Cuidar de sua apresentação pessoal (Procurar estar sempre que possível com trajes adequados e discretos);
  • Não discriminar quaisquer pessoa, auditado ou auditor;
  • Política de bom relacionamento com as áreas auditadas com independência (Não esquecermos que nós voltaremos lá posteriormente e outro trabalho);
  • Auditar e fazer muitas vezes o papel de Consultor (Auxiliar o auditado na busca de encontrar soluções e alternativas para o problema em questão sem afetar sua independência);
  • As atitudes devem justificar a confiança e reputação de um Auditor;
  • Decisão em Equipe (Toda ideia ou posicionamento será bem vindo, no entanto prevalecerá a decisão do grupo);
  • Preservar a imagem do auditado (Realizar entrevistas, comentários de forma ética evitando expor o auditado ou gerar conflitos internos principalmente entre colaborador/gestor/diretor da área auditada);
  • Assegurar a confidencialidade e fidedignidade das informações obtidas na empresa, bem como a sua correta aplicação;
  • Melhorar o vocabulário: Usar palavras e expressões corretas sem o uso de gírias.

Esses e outros assuntos em relação a implantação/implementação da atividade de auditoria interna podem ser vistos no site www.escoladeauditoria.com.br e www.portaldeauditoria.com.br

Ibraim Lisboa
SSA-04/04/2017

Previous Auditoria Interna de Processos
Next Reflexões sobre Estruturas de Auditoria, Controles Internos e Compliance no contexto atual de Boas Práticas de Governança Corporativa.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *